PROJECTS

IF MORTAR

Estudo experimental e numérico da interface argamassa-suporte

  • Project code
    POCI-01-0145-FEDER-032223
  • Approval date
    07/18/2018
  • Start date
    10/01/2018
  • Conclusion date
    09/30/2021
  • Promotor
    Itecons
  • Copromotors
    IST-ID
  • Total eligible amount
    220.883,82 €
  • Financial support from the European Union
    FEDER - 131.247,50 €
  • National/regional public financial support
    Orçamento de Estado - 89.636,32 €
  • Funding

Análise da influência das propriedades do suporte no desempenho da argamassa de revestimento, de modo a ser possível conhecer as características da argamassa após aplicação no suporte, a partir do conhecimento das suas características determinadas em laboratório.

 

ENQUADRAMENTO

Os estudos das propriedades das argamassas são geralmente feitos sobre amostras em laboratório, com dimensões, condições de cura e ensaios normalizados. Contudo, quando as argamassas são aplicadas nos suportes, o seu comportamento não vai ser exatamente igual. Quais serão os parâmetros que influenciam esse comportamento? Que características têm maior influência: as das argamassas ou dos suportes? Como é que essas características influenciam o comportamento das argamassas? As condições de aplicação e cura terão influência? As características das argamassas mudarão ao longo do tempo de modo diferente dependendo do tipo de suporte? Estas são algumas das questões a que ainda não se sabe responder com rigor e que serão abordadas neste projeto.

 

PRINCIPAIS OBJETIVOS

O principal objetivo deste projeto é analisar a influência das propriedades do suporte, nomeadamente a estrutura porosa, o comportamento na presença de água/vapor de água, e o desempenho mecânico, nas características da argamassa de revestimento.

Outro dos objetivos é ser possível conhecer as características de uma argamassa após a sua aplicação no suporte, a partir do conhecimento das suas características determinadas em laboratório, e que são normalmente fornecidas nas indicações técnicas dos fabricantes.

Como objetivo final a ser alcançado, pretende-se obter expressões matemáticas que permitam, a partir dos valores dos parâmetros de caracterização obtidos em laboratório, estimar esses mesmos parâmetros para as argamassas após aplicação nos suportes.

 

ATIVIDADES DO PROJETO E RESULTADOS ESPERADOS

O projeto IF MORTAR tem uma duração total de 36 meses e organiza-se em seis atividades distintas. Estas atividades e respetivos resultados esperados são descritos de seguida.

·       Atividade 1 – Start-up e revisão de literatura
Inicialmente, será feita uma revisão da literatura. Proceder-se-á também à seleção dos tipos de argamassas e suportes a analisar, tendo em conta os materiais mais utilizados em novas construções e em edifícios antigos em Portugal. Uma vez que se pretende também analisar argamassas para regularização e acabamento, considerar-se-ão argamassas com introdução de inertes com diversas granulometrias.

·       Atividade 2 – Caracterização das argamassas nos moldes
As argamassas serão caracterizadas em laboratório, de acordo com as normas existentes. A caracterização das argamassas começará com a caracterização dos seus constituintes, nomeadamente as areias, ligantes e eventualmente alguns aditivos que possam ser utilizados. Será feita a caracterização física, higrotérmica e mecânica das argamassas através de várias fases: após cura normalizada, após 120 e 365 dias. Alguns provetes serão sujeitos a "envelhecimento acelerado" em câmaras climáticas, de acordo com a norma EN 1015-21.

·       Atividade 3 – Caracterização das argamassas aplicadas nos suportes
A atividade começará com a caracterização de todos os suportes. Esta caracterização incluirá a determinação da densidade, porosidade aberta, absorção de água por capilaridade e permeabilidade ao vapor de água. A porosimetria também será determinada. Após esta caracterização, aplicar-se-á uma camada de cada tipo de argamassa em cada tipo de suporte. Os provetes permanecerão em condições idênticas às estabelecidas para as amostras de laboratório, isto é, 28/60 dias, 120 dias e 365 dias. Estes provetes serão também sujeitos a envelhecimento acelerado. Após os tempos de cura, as argamassas serão destacadas dos suportes e proceder-se-á à determinação das mesmas propriedades indicadas para as argamassas endurecidas nos moldes de laboratório.

·       Atividade 4 – Análise da interface
No âmbito desta tarefa, pretende-se avaliar o tipo de estruturas e compostos formados na interface argamassa-suporte. A ligação que é criada entre os suportes com diferentes estruturas porosas e os componentes reativos das argamassas será avaliada utilizando uma metodologia que envolve diversas técnicas experimentais avançadas. Os resultados obtidos serão correlacionados com os resultados de desempenho obtidos nas tarefas anteriores, a fim de estabelecer as melhores práticas operativas e de formulação das argamassas em contextos reais de aplicação.

·       Atividade 5 – Aplicações in-situ
As argamassas serão aplicadas em grandes suportes sujeitos a condições climáticas reais (paredes ao ar livre). Para este fim, apenas algumas argamassas e alguns suportes serão selecionados. Os ensaios a realizar nas argamassas assim expostas serão semelhantes aos descritos para as argamassas aplicadas nos suportes em laboratório. Adicionalmente, serão também realizados ensaios mais específicos, indicados para aplicação in situ. Os resultados obtidos serão comparados com os determinados para as argamassas endurecidas nos moldes e para as argamassas aplicadas no laboratório sobre suportes de pequenas dimensões.

·       Atividade 6 – Desenvolvimento de formulações matemáticas finais
O objetivo final desta tarefa será chegar a expressões matemáticas que permitam estimar as características das argamassas depois de aplicadas nos suportes, a partir dos valores dessas características determinadas em laboratório em provetes normalizados. As características fundamentais para as quais se pretende encontrar expressões matemáticas serão aquelas que normalmente aparecem referenciadas nas especificações técnicas das argamassas pré-dosadas e que são normalmente as necessárias para a marcação CE. Através das expressões matemáticas desenvolvidas, será possível escolher, de maneira mais adequada e rigorosa, argamassas com as características que se pretende que tenham após aplicação.

 

PRINCIPAIS RESULTADOS ALCANÇADOS

A Atividade 1 (“Start-up e revisão de literatura”) encontra-se concluída. Foi já feita a revisão da literatura e foram selecionadas argamassas e suportes a analisar numa campanha preliminar de ensaios.

A Atividade 2 está em desenvolvimento, tendo sido já caracterizadas algumas argamassas nos moldes.

A Atividade 3 está iniciada com a aplicação de algumas argamassas nos suportes

 

LISTA DE COMUNICAÇÕES

·       Torres I, Flores-Colen I. 2018. Estudo experimental e numérico da interface argamassa-suporte. 3º Simpósio de Argamassas e Soluções Térmicas de Revestimento, 11-12 de outubro de 2018, Itecons, Coimbra.

·       Torres I, Matias G, Paulo D. 2018. Influência da presença de chapisco nas características das argamassas aplicadas. 3º Simpósio de Argamassas e Soluções Térmicas de Revestimento, 11‑12 de outubro de 2018, Itecons, Coimbra.

·       Isabel Torres, Inês Flores-Colen, Dora Silveira. 2019.Discussão de métodos de avaliação da interface de argamassas e suportes. XIII SBTA – Simpósio Brasileiro de Tecnologia das Argamassas, Goiânia, 11-13 de junho de 2019.

·       Dora Silveira, Isabel Torres, Inês Flores-Colen, Rafael Travincas, Gina Matias. Interface argamassa-suporte: Análise das características físicas. XIII SBTA – Simpósio Brasileiro de Tecnologia das Argamassas, Goiânia, 11-13 de junho de 2019.

·       Isabel Torres, Dora Silveira, Inês Flores-Colen, Rafael Pinto4, Gina Matias. Influence of the substrate on the mechanical characteristics of the applied mortars. 5th Historic Mortars Conference, Pamplona, 19-21 junho 2019.